Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Presidentes do Mercosul fazem crítica velada a Milei por faltar em cúpula

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) representou o Brasil na Cúpula do Mercosul que aconteceu na segunda, 8, no Paraguai. O presidente criticou diversos pontos da região, como “nacionalismo arcaico”.

No discurso, comentou: “Não faz sentido recorrer ao nacionalismo arcaico e isolacionista , tampouco à justificativa para resgatar experiências ultraliberais que apenas agravaram desigualdades na nossa região”,

A fala é uma resposta a atitudes de Javier Milei , presidente da Argentina. O homem recusou-se a participar da Cúpula e, no passado, mostrou-se contra a aliança Mercosul. Anteriormente, fez ameaças de retirar Argentina do bloco.

Lula vs Milei

Milei não participou da Cúpula do Mercosul, mas veio ao Brasil para discursar no domingo, 8. Ao lado de Jair Bolsonaro (PL) , o argentino participou de um evento de líderes de direita em Santa Catarina .

Em discursos, Milei mostrou-se abertamente contra Lula e o governo do petista e chamou o presidente de “comunista” e “corrupto.”

Por isso, na fala do encontro do Mercosul, Lula comentou sobre “nacionalismo arcaico” e defendeu as ações do bloco econômico e comentar como, apesar de divergências, éimportante saber navegar e manter alianças

“O Mercosul é resiliente e tem sobrevivido aos difíceis anos de desintegração. Pensar igual nunca foi critério para engajamento construtivo nas tarefas do bloco. A diversidade de opiniões, sem extremismos e intolerância, é bem-vinda.”

Outras falas incluem, mais diretamente, questões econômicas:

“Mas é preciso permanecer vigilantes. Falsos democratas tentam solapar as instituições e colocá-las a serviço de interesses reacionários. Enquanto nossa região seguir entre as mais desiguais do mundo, a estabilidade política  permanecerá ameaçada. Democracia e desenvolvimento andam lado-a-lado. Os bons economistas sabem que o livre-mercado não é uma panaceia para a humanidade.”

Lula recebe apoio de outros presidentes

Luis Alberto Lacalle Pou , presidente do Uruguai, é adepto de políticas de direita – e, mesmo assim, apoiou e concordou com a fala de Lula:

“Não importa somente a mensagem. É muito importante o mensageiro e, obviamente, não menosprezo ninguém. Mas, se o Mercosul é tão importante, aqui deveriam estar todos os

presidentes. Eu presto importância ao Mercosul. E se realmente acreditamos nesse bloco, deveríamos estar todos.”

Golpe na Bolívia e Milei

Luís Arce , presidente da Bolívia, comentou sobre a recente tentativa de golpe de Estado que o país passou.

Ele agradeceu àqueles colegas prestadores de apoio e criticou fala sobre “suposto autogolpe”. Milei, assim como Eduardo Bolsonaro , compartilharam teorias sobre um golpe falso causado pelo próprio Arce para fortificar o governo.

“Lamentamos declarações infundadas e poucos sérias sobre um suposto autogolpe quando lamentavelmente se tratava de um clássico golpe de Estado”, disse o boliviano.

Lula comentou, no início do discurso, sobre a situação política da Bolívia:“A democracia prevaleceu graças à firmeza do governo boliviano, à mobilização de seu povo e ao rechaço da comunidade internacional. O Mercosul permaneceu mais uma vez unido em defesa da plena vigência do estado de direito, consagrada no Protocolo de Ushuaia. A reação unânime ao 26 de junho na Bolívia e ao 8 de janeiro no Brasil demonstram que não há atalhos à democracia em nossa região.”