Quarta-feira, 19 de junho de 2024

Cantor Amado Batista é intimado pela Justiça antes de subir ao palco em cidade tocantinense

O cantor Amado Batista foi intimado pela Justiça na noite de quinta-feira (23/5) em um processo movido pela ex, Layza Felizardo, que busca o reconhecimento da união estável entre eles e, em seguida, a dissolução da mesma.

De acordo com o Portal Leo Dias, desde o início do processo, a Justiça teve dificuldade paara encontrar o cantor em sua residência, mas o localizou em Talismã, no sul do Tocantins, onde faria show em comemoração ao aniversário da cidade

A influenciadora começou a namorar o artista quando estava com 17 anos e ficou com ele por cinco. Após o fim do relacionamento, ela afirmou que foi vítima de violência doméstica e expôs traições por parte do artista. Layza atualmente mora em Palmas (TO).

Ela afirma que os dois fizeram um acordo após a separação, no qual ela receberia ajuda financeira até arrumar um novo trabalho e ganharia um lugar para morar. No entanto, Amado Batista teria voltado atrás e até dito que ter namorado com ele já era um presente.

Na ação, Layza pede R$ 10 mil em alimentos provisórios, que seria um valor para que ela possa se manter.

Expulsa de casa após a agressão

Layza Felizardo concedeu entrevista ao Domingo Espetacular e acusou o Amado Batista de violência doméstica. A mulher, que é 48 anos mais nova que o cantor, detalhou como foi a separação e disse que foi expulsa de casa. O caso foi inicialmente revelado por Fábia Oliveira, colunista do Metrópoles.

“Cheguei a olhar o celular dele e ver que estava conversando com várias meninas. Eu quero respeito. Para ir até minha mãe, foi homem para falar e ele me chamava de louca. Essa é uma parte que me dói muito porque durante nosso tempo de casado nunca houve nada disso da minha parte…é difícil”.

Amado negou, em áudio, as traições. Em dezembro, Layza foi expulsa da casa em que morava com ele pelos enteados.

“‘Você tem que sair, a situação está chata, Amado é um idoso’. Colocaram tudo no carro de qualquer jeito, foi um horror”, declarou, contando que ficou surpresa com a atitude, já que se dava bem com eles.

“Eu tô com uma vergonha tão grande… eu me vejo num momento muito difícil, estou dormindo num colchão na cozinha da casa da minha mãe”, completou. “Não teve uma separação de fato dele chegar e falar comigo , presencial, falar ‘vamos nos separar’. Foi uma expulsão”, reforçou.

Ainda durante a entrevista, Layza contou que Amado não permitia com que ela trabalhasse e que ganhava uma mesada para fazer suas coisas. “Ele me dava uma mesada pra ir no cinema, fazer unha, R$ 10 mil”, disse.

Cantor não quer comentar caso

A assessoria de Amado Batista informou que ele não vai se pronunciar sobre o caso. “Ele já deixou uma nota que não fala da vida pessoal. Mas se quiser saber dos 4 bilhões de visualizações no YouTube, mais de 30 milhões de discos vendidos, 48 anos de carreira, estamos à disposição”, diz o comunicado.