Terça-feira, 21 de maio de 2024

Militares da ativa escreveram carta para levar Exército ao golpe, diz PF

Investigações da Polícia Federal identificaram dois coronéis em carta de oficiais da ativa pressionando o comandante do Exército a adotar postura de rompimento em 2022. Documentos obtidos pela Folha de S.Paulo revelam que a identificação dos militares foi feita a partir da análise de metadados do documento, recebido pelo tenente-coronel Mauro Cid em 22 de novembro de 2022.

Giovani Pasini e Alexandre Castilho Bitencourt da Silva são os coronéis identificados nas investigações. O relatório da Polícia Federal deu base aos vários pedidos de prisão e de buscas e apreensão (entre os itens está o passaporte de Jair Bolsonaro) autorizados em 8 de fevereiro. Pasini se candidatou a deputado estadual no Rio Grande do Sul. Ele não quis comentar a autoria do manifesto. Bitencourt não foi localizado ainda.